O BERÇO E O TERREMOTO - MARIO QUINTANA


O Berço e o Terremoto – Mario Quintana

Os versos, em geral, são versos de embalar, como eu às vezes os tenho feito, não sei se por simples complacência… ou pura piedade.
Contudo, os verdadeiros versos não são para embalar – mas para abalar.
Mesmo a mais simples canção, quando a canta um Camela Lorca, desperta-te a alma para um mundo de espanto.
Mario Quintana )
(Poema conferido e digitado, do livro Caderno H, retirado de Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 334)

Postagens mais visitadas deste blog

NÃO SEI QUANTAS ALMAS TENHO - FERNANDO PESSOA

TODAS AS FORMAS DE AMAR - RENATA CIBELE LIMA

O MAGO E "A ESPIÂ" - LIVRO EM LANÇAMENTO MUNDIAL DO ESCRITOR PAULO COELHO